Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa

Letras

a b c d
e f g h
i j k l
m n o p
q r s t
u v w x
y z

Vocabulário Ortográfico Nacional: Timor-Leste

O português tornou-se, em 2001, por vontade e determinação do povo timorense, uma das línguas oficiais de Timor-Leste, a par do tétum, língua hoje simultaneamente oficial e nacional. O Vocabulário Ortográfico Nacional de Timor-Leste (VOTL) constitui o primeiro repositório lexicográfico contendo as palavras da língua portuguesa efetivamente em uso neste país. É com júbilo que vemos o VOTL integrado nesta obra marcante para esta língua que nos une, que é o Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa.

O VOTL é um vocabulário ortográfico construído de acordo com os princípios comuns de aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa e de descrição lexicográfica estabelecidos e consensuados pela sua vasta equipa internacional. Contém cerca de 30 000 palavras, sendo a maioria delas palavras comuns à língua portuguesa falada em todos os países da CPLP. Além destas, o VOTL contém um acervo de mais de seiscentas palavras específicas da variedade timorense desta língua, provenientes na sua maioria das línguas nacionais de Timor-Leste, palavras que servem em muitos casos para denominar realidades que são específicas deste país.

As fontes de recolha das palavras que constituem o VOTL são, além dos trabalhos lexicográficos de língua portuguesa existentes, sobretudo no que respeita às palavras comuns, diversos trabalhos de natureza linguística, etnográfica, antropológica e histórica, de que importa destacar os trabalhos de Maria José Albarrã de Carvalho e de Luiz Filipe Thomaz, mas também dados recolhidos de um corpus de textos escritos em português, fundamentalmente constituído por textos legislativos produzidos em Timor-Leste, e a partir do conhecimento de falantes leste-timorenses de português.

Importa referir que muitas das mais de 600 palavras específicas da variedade timorense do português conhecem, com a sua inserção no VOTL, o seu registo de nascimento oficial. Passaram por um processo de validação formal técnica constituído por três fases: num primeiro momento as palavras foram validadas por um grupo de investigadores do Instituto Nacional de Linguística de Timor-Leste; num segundo momento, as palavras foram de novo validadas pela equipa de colaboradoras do projeto, ligadas à Universidade Nacional de Timor Lorosa’e (constituída pelas investigadoras Benvinda da Rosa Lemos Oliveira, Eugénia de Jesus das Neves, Urraca Magno de Côrte-Real Araújo, do Departamento de Língua Portuguesa); num terceiro momento, a lista remanescente foi validada pela coordenação do projeto.

A elaboração do VOTL resultou da coordenação de esforços de um conjunto de entidades. Em primeiro lugar, importa referir o papel do próprio IILP, como desencadeador do processo, através do seu Conselho Científico. Em segundo lugar, a Comissão Nacional de Timor-Leste, que, em associação com a equipa central do VOC, congregou as instituições que, em Timor-Leste, intervieram nesta realização.