Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa

Letras

a b c d
e f g h
i j k l
m n o p
q r s t
u v w x
y z

VOLP: Vocabulário Ortográfico Nacional - Brasil

Carlos Alberto Faraco e Evanildo Bechara

Membros representantes do Brasil no Corpo Internacional de Consultores

A Academia Brasileira de Letras tem com a Academia das Ciências de Lisboa uma longa tradição lexicográfica que começa em 1933 com o Vocabulário Ortográfico e Ortoépico da Língua Portuguesa e se prolonga nas sucessivas edições do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), desde sua primeira edição em 1943. Um Vocabulário Ortográfico – ao arrolar, com base em acervos de língua escrita, as palavras correntes na sua forma ortográfica oficial – é um instrumento fundamental para a gestão da ortografia da língua. Mas é importante não só por ser a referência da ortografia vigente, como também por poder servir de base para a elaboração dos dicionários gerais da língua.

Com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 fez-se necessário atualizar o VOLP – o que foi feito pela ABL na sua 5.ª edição (2009) – e também elaborar o Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa (VOC) com dois objetivos fundamentais: listar as formas ortográficas autorizadas pelo Acordo Ortográfico (que admitiu, para alguns casos, formas ortográficas facultativas), e congregar o acervo de palavras correntes nos diversos países de língua oficial portuguesa (considerando que o Acordo Ortográfico unificou as normas ortográficas da língua, superando a pluralidade até então existente). Para a elaboração do VOC, a ABL cedeu, oficialmente, sua base lexicográfica que, depois de tornada compatível com o sistema usado no VOC, passou por um amplo processo de validação por meio do cruzamento de seus dados com várias outras fontes lexicográficas, entre as quais o Vocabulário Ortográfico Português (VOP), o corpus lexicográfico do Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional da USP/ São Carlos – NILC (que serve de base ao corretor ortográfico do Microsoft Office do Brasil) e o Corpus Brasileiro (Berber Sardinha da PUC/ SP).

O resultado foi o Vocabulário Ortográfico Nacional do Brasil (VON-Brasil) que passou, então, a integrar o VOC. Nesta feição apresenta outras vantagens, porque todas as palavras arroladas foram devidamente validadas, além de agregar novas informações, tais como a divisão em sílabas, a marcação da sílaba tônica, o paradigma flexional, relações funcionais com outras entradas (especificamente com palavras morfologicamente relacionadas), bem como índices de frequência.

Deste modo, o VON do Brasil representa um significativo avanço no registro lexicográfico brasileiro e, por isso, se reveste de grande importância como fonte segura de consulta para os especialistas e para o público em geral.

Ao mesmo tempo, estando integrado ao VOC, o Vocabulário Nacional do Brasil contribui para este valioso instrumento que, agregando os Vocabulários Nacionais de todos os países de língua oficial portuguesa, serve não só de referência lexicográfica para toda a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como também permite uma gestão efetivamente conjunta da ortografia da língua.